Em dezembro o nosso desejo para o recomeço é sempre maior. Por algum motivo colocamos muita expectativa no ano novo. Pensamos em erros que cometemos. Se pudéssemos, voltaríamos atrás. Esse ano não é diferente: Queremos ter um 2010 nota 10!

Quem não conhece alguém que passou por momentos de sofrimento, dor ou perda em 2009? Concluímos, então, que a adversidade não escolhe classe social, nem religião, e sempre vem em hora errada! Eu, particularmente depois da morte de meu filho, tenho buscado cada vez mais entender as instruções de Deus para lidar com a dor da perda. Muitos já me perguntaram: “Como um Deus justo pode permitir algo tão doloroso para um homem bom?” A minha resposta tem sido em duas partes. Primeiramente, não sou bom, mas sim um pecador salvo pela graça; e há acontecimentos que coloco no “arquivo de mistérios” do meu coração. Não faço questão de entender os propósitos divinos (Deus não me deve explicações), mas faço questão de ajustar a minha vida pós-tragédia. A Bíblia não promete vida sem perdas e/ou tragédias, mas promete a paz que excede todo o entendimento para passarmos pelo “vale da sombra da morte”.

Permita-me, então, te encorajar a ajustar a sua vida pós-perda para 2010. Obviamente levaríamos um bom tempo para formular uma “Teologia do Sofrimento”. Mas um livro no Novo Testamento lida com essa questão: a primeira epístola de Pedro. O apóstolo escreve para crentes da Ásia Menor (1 Pedro 1:1) que sofriam a severa perseguição imposta pelo imperador Nero. Ele encoraja seus leitores: “Nisso exultais, embora no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações” (1 Pedro 1:6). Que bom saber que as provações são por breve tempo! Os crentes da Ásia Menor, assim como nós, podiam ter a esperança de melhores dias, não somente por que o a dor é temporária, mas também porque Deus tem instruções específicas para quem passa por várias provações. Então, para termos um 2010 nota 10 que tal entendermos as razões para o sofrimento, os resultados do sofrimento, e as reações ao sofrimento, segundo a opóstolo Pedro? 

     RAZÕES PARA O SOFRIMENTO.

Desde o dia em que a humanidade foi amaldiçoada por causa do pecado original a criação “geme e está com dores de parto até agora” (Romanos 8:22); aguardando “com ardente expectativa  a revelação  dos Filhos de Deus” (Romanos 8:19). Isso significa que desde o jardim do Edem até hoje, o homem tem se familiarizado bastante com a adversidade. Os heróis da fé na Bíblia (e os contemporâneos) têm sido para nós um testemunho que tribulações são ferramentas nas mãos de Deus para alcançar os seus propósitos soberanos. Pedro diz que a primeira razão para o sofrimento é:

A)  Testar a nossa fé.

Os leitores originais dessa carta seriam bastante encorajados ao reverem que haviam sido regenerados para uma viva esperança (1 Pedro 1:3) e para uma herança eterna (1:4). Além disso Deus protege seu povo (1:5), purifica a fé de seu povo (1:6-7), e providencia a alegria de seu povo (1:8).

No processo de purificação, Deus as vezes usa métodos não-convencionais. No caso dos leitores de Pedro a perseguição Romana tinha como objetivo confirmar o valor da fé deles. (1:7a). Isso porque os cristãos antigos ficariam conhecidos como os mártires que preferiam ser queimados vivios a negarem seu Slavador. Da mesma forma, quando estamos sendo testados o mundo está em observação. A nossa vida passa a ser um testemunho silencioso de como vale a pena seguir a Jesus, que nos sustenta de maneira sobrenatural em épocas de “várias provações”. A segunda razão para o sofrimento, então, é:

B)   Amadurecer o nosso caráter.

Pedro continua a encorajar os seus leitores afirmando que uma outra razão para a perseguição era a edificação de uma casa espiritual para “serem sacerdócio santo, afim de oferecerdes sacrifício espirituais agradáveis a Deus” (1 Pedro 2:5). Eles já sabiam a respeito da bondade divina (1 Pedro 2:3); por isso, era pouco provável que questionariam a Deus no processo de edificação. Que bom saber que o crente está “em construção”! Paulo confirma isso aos Filipenses (Filipenses 1:6). Por esse motivo, o sofredor é abençoado quando é perseguido por causa da justiça (1 Pedro 3:14).

A tribulação, embora nunca bem-vinda, tem como propósito aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar (1 Pedro 5:10). É assim que se constói caráter. Raramente a prosperidade aperfeiçoa o caráter do homem. Geralmente a adversidade é que faz isso.

     RESULTADOS DO SOFRIMENTO.

A)  No Presente:

Ainda no início da sua primeira carta, Pedro encoraja os seus leitores ensinando a respeito do resultado para (e através de) os cristãos que sofrem. Além do crente amadurecido, a perseguição produz um Cristo engrandecido (1 Pedro 1:7c). Somente por uma perspectiva Bíblica podemos “exultar com alegria indizível” (1 Pedro 1:8).

B)   No Futuro:

É notável o fato de Pedro associar louvor honra e glória com a segunda vinda de Cristo (1:7c). Glória adiada nao é muito compatível com a razão humana! Queremos honra para já e se possível sem passar por dificuldades. Mas a vida de Jesus é o exemplo mais claro de que não existe glória sem Cruz. Nenhuma outra parte da Bíblia promete louvor, honra e glória para o cristão nessa vida. A vida abundante prometida por Jesus começa no momento em que aceitamos a Jesus. Então ela fui de uma compreensão de que somos aceitos e “abençoados com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo Jesus” (Efésios 1:3). As recompensas estão reservadas para servos fiéis…NO FUTURO (1 Coríntios 3:10-15). Além do mais, há um tempo para a nossa exaltação (1 Pedro 5:6).

     REAÇÕES AO SOFRIMENTO.

Começar 2010 em grande estilo significa reagir às circunstâncias adversas da vida de maneira apropriada. Pedro recomenda algumas dessas reações que, se colocadas na prática, mudarão a nossa vida.

A primeita delas:

A)  Exultar.

De acordo com Pedro, a melhor escolha diante de uma tribulação é: “exultar com alegria indizível no Senhor”  (1 Pedro 1:8) e (1:6). Tiago concorda. Ele escreve : “Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações sabendo que  a provação da vossa fé prozus perseverança…” (Tiago 1:2-3).

Mas você pergunta: “como assim, não é hipocrisia dizermos que estamos bem quando, na verdade, estamos ancios, preocupados, machucados e esgotados diante de um sofrimento?” Veja bem, exultar é uma escolha. Mesmo em extrema dor, você pode se entristecer e ainda assim exultar na esperança em Cristo. Paulo escreve aos Tessalonicences: “Não queremos , porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança” (1 Tessalonicenses 4:13).

Há os que se entristessem sem esperança, e aqueles que não a conhecem. Notou a diferença? Sofrer com esperança é possível quando se obtém informação…da Palavra de Deus. A Bíblia nos ensina a focalizar nossas atenções nas glórias que seguem o sofrimento (1 Pedro 1:11). Ou seja, é possível nos alegrarmos, mesmo que o nossos corações estejam “gritando” o oposto. 

De vez em quando eu choro quando me lembro do meu falecido filho Victor. Quanto sonhos interrompidos! As milhas lágrimas, entretanto, não são de amargura, e sim de alegria por saber que um dia nós nos reencontraremos. Não porque eu sinto assim, mas pelo que a Bíblia me garante. Eu sei para onde meu filho foi, e sei para onde vou- pela graça de Deus, mediante a fé em Jesus.

              A segunda reação ideal ao sofrimento:         

B)   Esperar.

Pedro recomenda que seus leitores perseguidos esperem “inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo” (1 Pedro 1:13). A promessa era de que na revelação de Jesus (na segunda vinda) o aspecto futuro da salvação será concluído.

A nossa salvação tem três aspectos: passado (quando fomos justificados ao recebermos a Cristo), presente (ao sermos santificados e moldados à imagem de Jesus – Romanos 8:29) e futuro (quando seremos glorificados).

A instrução bíblica é clara: Para aqueles que recebem a Jesus como salvador um dia não haverá mais dor, perda, tristeza, tragédia, perseguição, e nem sofimento. Mas infelizmente para aqueles que rejeitam o evangelho o prognóstico é de condenação eterna.     

A terceira reação ideal ao sofrimento:

C)   Obedecer.

Muitos dos crentes da Ásia Menor seriam tentados a buscar alívio por seus próprios meios (que muitas vezes se opõem à Palavra de Deus); a buscar o caminho menos doloroso e mais curto. Mas o apóstolo adverte: “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância” (1 Pedro 1:14).

Os “atalhos” podem parecer a solução mais apropriada, mas podem trazer problemas maiores. Abraão desceu ao Egito para “fugir da crise” quando tinha sido instruído por Deus de outra maneira (Gênesis 12). Qual foi o resultado? Ele colocou a sua esposa (e a própria vida) em risco. Ainda bem que a promessa de Deus a ele foi incondicional!

Recentemente eu li a biografia de Adrian Rogers. Ele havia perdido um filho no início de seu ministério também. Ao visitar uma família, semanas depois da tragédia, o pai lhe perguntou: “Você continua no ministério depois do que Deus fez com você?” Me lembrei da resposta parecida da esposa de Jó. Não me lembro da respostra de Rogers, mas a história revela que o mundo não teria sido o mesmo se ele tivesse sido desobediente ao seu chamado.

Irmão/amigo: continue obedecendo a Deus, mesmo que ele tenha interferido nos seus planos. Os planos Dele são melhores..acredite!                   

A quarta reação ao sofrimento é:

D)  Estudar.

Os irmãos perseguidos da Ásia Menos são instruídos a “desejar ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação” (1 Pedro 2:2).

O que é o genuíno leite espiritual? O que nutre o nosso espírito? Em momentos de tribulação não há palavras de conforto que se comparem às promessas, ao consolo, e às instruções que temos na Bíblia. Nela temos a revelação do caráter, dos atributos, do amor e da graça de Deus. Nela vemos como homens do passado passaram por severas tribulações. Nela vemos como Jesus enfrentou a cruz…a maior de todas as torturas da história. Tudo isso por mim e por você. É nela que lemos que Ele prometeu nos preparar lugar e voltar para nos buscar. Nela confirmamos que ele cumpriu suas promessas ao ressuscitar no terceiro dia e subir ao Pai.

A quinta reação ao sofrimento é:

E)   Reproduzir.

Os leitores de Pedro são instruídos a seguir os passos de Jesus (1 Pedro 2:21-25). Ele não pecou e nem se achou dolo em sua boca, mas pagou o mal com o bem: abençoou quando foi amaldiçoado.

Paulo também instrui seus leitores, os Coríntios, a serem imitadores de Cristo (1 Coríntios 11:1). Isso significa que em momentos de tribulação temos oportunidades únicas de reproduzir o caráter de Jesus.        

A sexta reação é:

F)    Testemunhar.

Pedro também convoca seus leitores a estarem preparados para “responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” (1 Pedro 3:15). Isso certamente aconteceria. Os cristãos prestes a serem martirizados seriam um testemunho para os pagãos que não tinham a mesma esperança.

Você já foi desafiado a explicar a sua esperança em Cristo? Saiba que em momentos de sofrimento muitos te perguntarão a respeito da sua fé; alguns para desafiar e questionar (como aquele rapaz visitado por Adrian Rogers), e outros porque vêem em você uma fé amadurecida e gostariam de tê-la também.

A mim já perguntaram (tanto por curiosidade como por desafio). É nessas horas que o poder de um testemunho sincero é multiplicado. Não é necessario ter eloquência. Basta comunicar como Deus tem caminhado conosco “no vale da sombra da morte”. A sua história de andar com Jesus em provações certamente é para que o mundo veja… que Ele é Deus.    

A  última reação ao sofrimento:

G)  Resistir.

Em épocas de tribulações e sofrimento, cristãos estão mais vulneráveis às mentiras do diabo do tipo; “se Deus te amasse não permitiria que você passasse por isso”, ou “não vale a pena servir a Deus, veja o resultado”, ou também “busque o seu próprio conforto!” Pedro alerta seus leitores em relação a essas táticas satânicas. “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge preocurando alguém para devorar; resisti-lhes firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo” (1 Pedro 5:8-9). A melhor maneira de combater essas artimanhas é resistir ao inimigo como Jesus o fez no deserto: COM A PALAVRA DE DEUS.

Talvez hoje você esteja sendo atacado por essas mentiras. Sendo tentado a desobedecer, ou a abandonar a fé, e buscar os seus sonhos longe de Deus. Talvez você esteja ouvindo de outras pessoas (infelizmente usadas pelo inimigo); “esse negócio de ser cristão é difícil demais”, ou “pare de servir e busque ser servido/a, olha só no que dá servir aos outros na igreja!” Amigos leitores: SUJEITEM-SE A DEUS, RESISTAM O DIABO, E ELE FUGIRÁ DE VÓS (Tiago 4:7). A sua segurança está em Deus, mesmo que por um tempo “sejais contristados por várias provações” (1 Pedro 1:6).            

São essas, segundo a primeira epístola de Pedro, as razões para o sofrimento, os resultados do sofrimento, e as reações ao sofrimento. Para termos um 2010 nota 10 é necessário aprendermos a lidar com o sofrimento de acordo com a Bíblia. Não podemos controlar quando elas aparecem, mas podemos controlar o nosso entendimento a respeito das dificuldades.

É importante concluirmos que só é possível termos as reações apropriadas diante do nosso sofrimento se Jesus fizer parte pessoalmente de nossas vidas. Leitor, se você não tem certeza que Ele faz parte de sua vida, como Salvador (e não como uma figura histórica) não deixe para o ano que vem. Certifique-se que você tem a vida eterna, que só pode ser dada por Ele (1 João 5:13). Caso contrário o seu 2010 jamais será nota 10.

2 thoughts on “Um 2010 nota 10.

  1. Oi Pi, que bom ter acesso a um blog assim, melhor ainda sendo SEU! Palavras insporadosras para 2010, ja que fomos surpreendidos pela noticia de que o pai do Ricki esta com cancer. Pra mim eh um desafio me posicionar e atuar como crista em meio a uma familia de ateus, e aos poucos espalhar o amor de Deus e seus propositos em momentos assim.
    Muitas saudades e muito amor por voces!!!
    Beijos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s